Blog de Bruno Fonseca

Blog de Bruno Fonseca

sábado, 30 de janeiro de 2010

Planetário do Porto.

Amigos :) fui hoje ao Planetário do Porto e adorei :) e aprendi coisas que mesmo sendo astronomo amador não sabia. Aconselho vivamente :), aliás nesta página estão links para o site e blog do referido Planetário :)

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

"Dia de Verão"

A história que se segue passa-se no fantástico universo paralelo “criado” por Octávio dos Santos na sua obra “Espiritos das Luzes”. Como é obvio este pequeno conto não se destina a publicação em livro sendo apenas uma pequena homenagem a este grande autor J. O livro em que este conto se baseia pode ser adquirido através do blog do referido autor que está adicionado logo acima da minha foto na lista dos Blogs.
Apesar de, como disse, ser uma homenagem a este autor e amigo em cujo universo por ele imaginado o conto se passa, também introduzi uma temática de “história alternativa” imaginada por mim próprio: e se o pacto entre Hitler e Estaline continuasse e levasse a uma aliança efectiva destas duas ditaduras contra o Mundo Livre?


“Dia de Verão”

Ferreiros, Douro, Planeta Portugal, Segunda-feira, 10 de Agosto de 2009:

Passou mais um dia de férias fantástico aqui na aldeia ! Sabe bem nas férias estar aqui no meio rural uns tempos depois de um ano passado na cidade, especialmente em Lisboa onde estudo. Não que desgoste da capital do nosso planeta muito pelo contrário, adoro a agitação e cosmopolitismo dessa cidade imensa onde se vê um pouco de tudo… e de todos os seres inteligentes do nosso Universo, mas é bom variar e relaxar nas férias .
Esta manhã e como é meu costume nas férias de Verão passei-a a dormir acordando para almoçar.
Durante o almoço com a minha família o telejornal quase só falava na efeméride que hoje se assinala, bem e não é para menos, afinal foi hoje precisamente há 20 anos atrás que se desenrolaram os acontecimentos que puseram fim à “Guerra Fria” e abriram as portas à Democracia libertando o Universo do jugo tirânico das duas superpotências ditatoriais simultaneamente falidas: o III Reich e a URSS. E não é para menos, acho bem que se lembre o que se passou.
Desde que esses 2 planetas , a Alemanha e a Rússia, se aliaram contra o resto do cosmos na II Guerra Universal, (seguindo o conselho dos astronomos e astrologos de ambos os mundos que fizeram ver tanto a Hitler como a Estaline a vantagem estratégica (sobretudo baseada nos movimentos planetários do Sistema Solar Europeu) de uma aliança dos regimes apesar das diferenças) não apenas a Galáxia da Terra e a sua vizinha a galáxia americana, mas todo o universo passou os seus piores momentos.
Esses dois planetas subjugaram tudo, primeiro pela conquista da Europa o mais importante sistema solar da Terra mas sobretudo após a derrota que infligiram aos EUA e seus aliados na Galáxia da América.
O universo transformou-se num verdadeiro inferno. Esses 2 regimes brutais dominaram tudo, e “bipolarizaram” e subjugaram todo o cosmos ora aos interesses de Berlim ou de Moscovo. E apesar de após a derrota americana a aliança germano-soviética se ter quebrado e os dois regimes se tornarem rivais terríveis na Guerra Fria que se seguiu, tirando meros pormenorezinhos ideológicos ou económicos no fundo nenhum era melhor que o outro. Atrevo-me mesmo a dizer que cada um era pior que o outro! Ambos cometeram atrocidades e genocídios inimagináveis. É certo que a constelação africana foi a que mais sofreu (embora neste caso mais sob os nazis), mas ninguém escapou, durante mais de 40 anos após a II Guerra o cosmos (mesmo os planetas que eram teoricamente independentes como o nosso) viveu uma autentica Idade das Trevas. Tanto o sistema fascista como o comunista foram horríveis, tanto que penso que terá havido várias ocasiões em que muita gente perdeu completamente a esperança!
Felizmente tudo acabou! Nos anos 80 já ambos os sistemas estavam a cair de podres pelo que todo o Universo vivia numa estagnação económica e descontentamento sem precedentes na História. Duas pessoas foram essenciais para a nossa libertação: Gorbatchev na Rússia e Helmut Khol na Alemanha pois abriram com as suas reformas o fim de ambas as ditaduras. Mas de facto foi a 10 de Agosto de 1989 que se deu o momento decisivo. SS da velha guarda tomaram o poder em Berlim assassinando Khol. Rapidamente a Alemanha entrou em caos pois o povo não aceitava voltar atrás. E nesse mesmo dia deu-se uma revolução liderada pelos militares que com forte apoio popular derrubaram de vez o regime nazi.
No dia seguinte a velha guarda soviética receando um fim semelhante tentou tomar o poder mas fracassou e também o “império” soviético se desmoronou.
Caídos os “patrões”, durante o resto de Agosto de 1989 acabaram por cair todos os regimes satélites de um lado ou outro incluindo o Estado Novo português (satélite do Reich) e por fim a Democracia triunfou num Universo libertado e sem superpotências a oprimi-lo .
No fim até os EUA renasceram reunificados.
Hoje estamos muito melhor claro apesar do cosmos não ser perfeito. Há candidatos a tentarem preencher o vazio que se gerou é certo (os chamados “planetas emergentes” como os EUA, Brasil, Índia, China, etc) mas nenhum tem capacidades de oprimir o Universo como durante a Guerra Fria fizeram o Reich e a URSS e todos são democráticos, nada temos a temer, felizmente a era das superpotências terminou de vez!
Acho bem que se recorde o que se passou para que a História não seja esquecida. Mas adiante :
Depois de almoço estive por casa enquanto passavam as horas da digestão e à tarde fui para a praia. Fui mais uma vez à praia de Aregos junto ao Oceano Douro aqui perto .
Adoro o Douro! Como de costume o mar estava calminho como uma piscina estendendo-se como um manto azul encantado até aos confins do horizonte. Por toda a praia estavam bandeiras verdes como habitualmente.
Adoro a praia de Aregos, é vasta, bonita, maravilhosa, um cenário encantado. Claro que existem praias em meio urbano, mas aqui no “Portugal profundo” são muito mais bonitas, calmas, menos agitadas e claro, em termos de ambiente e qualidade são muito melhores livres da poluição e confusão dos meios urbanos. Aí passei a tarde com aquele cenário maravilhoso. Adoro o mar, especialmente o Douro, sinto-me outro depois de ir aquela praia.
Foi portanto uma tarde como muitas outras, rodeado que estive pela praia, com o mar e a sua água fresquinha à minha frente, com a areia dourada a todo o meu redor e com as montanhas com socalcos de vinhas até ao céu (que tanto caracterizam o Douro) atrás de mim.
Tomei banho, apanhei sol etc, até passei pelo sono.
Tive um sonho estranho, sonhei que estava em Lisboa no Aeroporto do Oriente como costumo estar quando vou a casa à espera do voo Intercidades que me leva ao Porto. Mas por alguma razão desta vez ia no Alfa. Os altifalantes diziam: “Vai dar entrada na Pista 1 o Boeing Alfa Pendular com destino ao Porto”. Mas eu enquanto me tentava dirigir para a porta de embarque não conseguia sair do mesmo sítio pois a mala estava pesada como chumbo lol… mas depressa acordei.
Lanchei ao sol enquanto lia o livro que agora ando a ler: o “Espíritos das Luzes” de Octávio dos Santos. É um livro muito engraçado, passa-se no Iluminismo mas num universo paralelo onde o autor “mete” todo o universo conhecido num mesmo sistema solar, especialmente engraçado está o facto de nessa obra a Terra ser não uma galáxia mas sim um único planeta “miniaturizado” onde curiosamente até a América está incluída sendo um mero continente. Portugal é um país pequenino na cauda de um continente chamado Europa, os nossos continentes são províncias pequenas e os oceanos meros rios. Curioso, se estivesse nesse universo de “Lilliput” talvez esta maravilhosa praia não passasse de uma pequenina faixa de areia junto ao rio Douro onde eu nem sequer caberia lol e conseguiria sem duvida ver o outro lado de tal rio que na nossa realidade está a kilómetros de distância, pois, claro, está na outra margem do oceano. A própria cidade de Lisboa esta extremamente miniaturizada, está mesmo muito engraçado lol. Além disso passando-se no Iluminismo também é um livro muito interessante do ponto de vista histórico. Sempre gostei de História.
De súbito um pensamento me assaltou a mente pensando no noticiário da hora de almoço. Se a Europa não fosse um sistema solar com uma História que se tornou razoavelmente previsível pela observação e previsão dos movimentos dos países-planetas toda a História recente teria sido diferente. Além de nesse caso não terem o apoio dos astrónomos se a Astrologia não fosse uma ciência exacta mesmo que os astrólogos que alertaram Hitler e Estaline existissem provavelmente nunca seriam levados a sério e assim uma guerra entre o Reich e a URSS teria sido quase inevitável. Sem estarem aliados nunca venceriam os EUA que provavelmente seriam uma superpotência se não tivessem sido vencidos. Quer o Reich ou a URSS vencessem uma guerra entre si com apoio ou não dos EUA a um dos lados teriam assim um novo adversário e após o colapso do regime de tal superpotência vencedora nos anos 80 (Reich ou URSS) restaria provavelmente ainda hoje uma superpotência (EUA) a tentar impor a sua vontade no mundo, nesse imaginário “planeta” Terra. Poderiam continuar a haver nações emergentes mas não sei até que ponto adiantaria… mas enfim… acho que apesar de tudo estamos bem melhor num mundo sem superpotências…
Lá continuei na praia mais algum tempo até que de súbito vejo pessoas a acumularem-se no outro extremo junto ao paredão da doca… curioso fui lá ver… e o que era? Uma truta morta tinha dado à costa. Do tamanho de mais de 3 automóveis o peixe morto jazia na areia sem explicação… que estranho… será que afinal sempre há alguma poluição nesta zona… talvez vinda do pequeno aeroporto de Mosteirô? Estarão os aviões regionais da rota da Régua a largarem materiais poluentes no mar? Ou o peixe morreu mesmo de velho…? Nunca cheguei a saber.
No final do dia vim para casa, jantei e estive a ver os planetas com o meu telescópio novo: Espanha (o planeta mais próximo), Itália, Grécia a oeste , a meio do céu altos a sul estavam os planetas britânicos, ou seja a Grã-Bretanha e a sua lua a Irlanda e pouco mais ao lado o planeta França e as suas luas a Bélgica e o Luxemburgo e os 3 planetas escandinavos mais a norte.
A leste estavam a Alemanha e a Rússia brilhantes como dois olhos no firmamento. Claro que com o telescópio além de pormenores das superfícies dos diferentes planetas consegui também ver os “planetas satélites” dos dois gigantes da periferia do sistema solar europeu: Áustria, Holanda, Dinamarca, Suiça e Liechtenstein ,em torno da Alemanha e os países bálticos, a Ucrânia, a Hungria, as republicas Checa e Eslovaca, Roménia, Polónia, Bulgária, etc, em redor da Rússia.
Claro que, dada a imensidão do nosso sistema solar ainda poderia ter visto mais planetas mas de momento não estão visíveis à noite.
Também admirei as várias quentes estrelas duplas e triplas da constelação africana contra a Galáxia da Terra no fundo iluminando o céu de uma ponta a outra como uma faixa luminosa e a seu lado a galáxia da América com especial destaque para a sua estrela mais brilhante: o sol do Sistema Solar do planeta dos EUA.
Depois como já era tarde vim aqui para o quarto escrever neste diário e agora vou dormir. Foi um dia em cheio!

"Carta Aberta"

Aqui está um pequeno conto que é uma homenagem gratuita e claro não intencionada para publicação em livro.

Homenagem a ao escritor Harry Turtledove e a D. António Ferreira Gomes (bispo do Porto)

A carta imaginária que se segue integra-se no universo das séries “World War” e “Colonisation” de Harry Turtledove. Trata-se de uma história alternativa em que alienígenas répteis invadem a Terra em 1942 em plena II Guerra Mundial. Aliados e Eixo unem-se contra o inimigo comum. A guerra acaba com um empate em que metade do globo fica ocupado pelos alienígenas (sobretudo hemisfério sul mas também certas zonas da Europa como a Polónia e a Península Ibérica) e governado a partir do Cairo e o resto sob o controle de 4 superpotências humanas que emergem com a guerra (e seus satélites/aliados): EUA, Alemanha Nazi, URSS e Japão. Segue-se uma guerra-fria entre humanos e alienígenas vulgarmente conhecidos como “Lagartos” (mas formalmente auto-designados “A Raça”) mas também de certa forma entre as superpotências humanas. Nos anos 60 devido ao contacto com os alienígenas nos anos 40 a tecnologia é muito mais desenvolvida sendo praticamente igual à de hoje no nosso mundo. Também nos anos 60 este equilíbrio é rompido com a chegada da Frota Colonizadora (civil) e tudo muda. Nessa altura os “Lagartos” na tentativa de integrarem verdadeiramente os territórios ocupados na cultura do seu Império (de vários planetas) tentam converter os humanos dos territórios ocupados (como Portugal) à sua religião (Culto Imperial) e para tal colocam impostos pela prática de outras religiões o que enfrenta forte oposição católica. A carta de que se segue integra-se neste contexto.

Nota: D. António Ferreira Gomes foi um corajoso bispo do Porto que no Mundo Real se atreveu a escrever uma “carta aberta” contra Salazar o que levou ao seu exílio.


“Carta Aberta ao Senhor Atvar, Excelentíssimo Comandante da Frota Conquistadora“:
Porto, 4 de Maio de 1965

Excelência, estou num choque tal que me é difícil exprimir a minha revolta e indignação!
Contudo a bem dos católicos e portugueses em geral penso que é meu dever apelar ao seu bom senso e sensibilidade.
Podemos já não ser um país soberano (ou como os senhores diriam "não-império") , mas continuamos a ser um povo e por este motivo penso que merecemos ao menos um mínimo de respeito por nós e pelas nossas tradições e crenças mais profundas. Já que não nos concede a Cidadania Imperial que apregoam que nos daria , entre outras coisas, liberdade de expressão, peço que pelo menos nos deixe em paz com as nossas vidas e sermos nós próprios.
Por favor , não me considere ingrato. Sei que o Senhor e A Raça fizeram muito por nós , desde o desenvolvimento tecnológico, aos transportes (linhas de alta velocidade que facilitaram a mobilidade e novas estradas) comunicações (mais fáceis via satélite computadores e telefones móveis), à medicina, educação e nível de vida em geral. Posso dizer com segurança que vivemos sem dúvida muito melhor hoje que talvez em todo o decorrer dos últimos 100 anos e sobretudo mais recentemente do que no tempo daquele tirano do Salazar do qual nos libertou.
Sendo realista também considero que (embora possa chocar alguns dos meus compatriotas ao dizer isto) dada a actual situação mundial um Portugal independente talvez não sobrevivesse nem 10 minutos e que certamente a nossa vida seria muitíssimo pior sob o domínio do Reich ou da URSS. (não falo nos casos dos EUA ou Japão pois estão demasiado distantes não representando perigo para nós, pelo menos imediato).
Contudo Senhor, apesar da nossa gratidão por tudo o que foi feito lembro-lhe uma coisa, isso não faz de nós escravos coisa que não somos nem nunca seremos! E não fomos nós que lhe pedimos para que nos invadisse! A nossa gratidão não nos obriga a ajoelhar diante de si ou de qualquer dos seus ídolos. Apenas nos ajoelhamos perante Deus e não perante qualquer mortal, humano ou d`A Raça! Não tem o direito de nos impor tal coisa!
Lembro-lhe também Senhor que não se esqueça de tudo o que nós católicos fizemos para evitar o pânico geral da população aquando da invasão e ocupação. E do nosso importante contributo para o desenvolvimento português em colaboração convosco (sobretudo em obras sociais). Não lhe pedimos mais nada em troca, até porque já nos deu bastante, pedimos apenas um pouco de respeito! Colocar guardas às portas de todas as Igrejas, incluindo o próprio santuário de Fátima exigindo dinheiro aos crentes para que possam entrar!? E mais: fazendo simultaneamente propaganda para o vosso Culto Imperial que sob discriminação positiva não implicaria pagamento! Tudo isso para nós Senhor é um ultraje e uma injustiça! Não se esqueça também Excelentíssimo Comandante que nós católicos portugueses além da nossa colaboração durante todos estes anos fomos dos primeiros a condenar o ataque bárbaro à vossa Frota Colonizadora aquando da sua chegada à Terra! Sentimo-nos portanto muito chocados e injustiçados com esta atitude sua de nos tentar converter quase à força! Sim pois acredito que muitos portugueses pobres abandonem o catolicismo por causa disto. Por outro lado os ricos (muitos deles até fascistas simpatizantes com o antigo regime) são beneficiados e até aproveitam a ocasião para exibir ostensivamente o seu dinheiro à porta das nossas Igrejas! Senhor, não vê como tudo isto nos magoa!? Além disso houve já, como sabe muitos conflitos sangrentos por causa disto com morte tanto de humanos como membros d` A Raça! E nem assim muda de atitude!? Sinceramente não compreendo tanta teimosia e tirania! Nesta sua perseguição injusta ao catolicismo está a agir nada mais nada menos com a mesma violência do Reich e com a mesma tirania e repressão que a União Soviética! Isto poderá levar muitos de nós a perguntar: será de facto tão melhor do que eles quanto apregoou durante estes 20 anos!?
Porque não toma o Senhor Comandante medidas persecutórias contra aqueles que de facto sempre se lhe oporam supostamente em nome de Portugal mas na realidade no interesse de potências estrangeiras !? Porque permite a continuidade desta situação mesmo após o aumento galopante que atentados terroristas fascistas e comunistas em que tantos do meu povo e do seu já morreram!? Muitos deles civis!?
Parece-me Senhor, com todo o respeito, que está a perder o seu sentido politico. Sei que A Raça está a atravessar momentos difíceis na sequencia da chegada da Frota Colonizadora como as revoltas muçulmanas no médio oriente e restante mundo árabe impulsionadas por Khomeini e outros fanáticos, o caos que reina na China e Índia!
O facto de Mao-Tsé Tung estar a ganhar muito apoio mundial, provavelmente mais do que Molotov, o líder soviético, a crise com o Reich por causa da colonização da Polónia pel`A Raça! A dependência galopante em gengibre que está a dar cabo dos seus padrões reprodutivos e ameaça a estrutura da sua própria sociedade, etc.
Porque não dedicar energia a resolver estes seus problemas reais? Porque perde tempo a atormentar a vida de quem sempre o apoiou? Porque querer arranjar problemas também nos seus territórios católicos que nunca lhe deram problema algum!?
Porquê nos recompensar pelos nossos anos de trabalhos juntos negando a Cidadania Imperial a troco de renegarmos a nós mesmo e , desculpe dize-lo, querer que vos adoremos a vós, tão mortais como nós , como deuses!? Não acha Excelentíssimo Senhor Comandante que está a ser injusto e demasiado teimoso!?
Uma coisa lhe digo Senhor Atvar, ou recua nesta política ou não sei que consequências ainda virão a caminho e vejo muito sangue que possa vir a ser derramado tanto nosso como vosso! E nem isto o demove!?
Senhor Atvar Excelentíssimo Comandante da Frota Conquistadora, tenha vergonha na cara!

D. António Ferreira Gomes, bispo do Porto

Epílogo: pouco após a publicação desta carta que colocou Portugal em alvoroço, Atvar ordena o exílio do seu autor para o mesmo local da América Latina onde ironicamente Salazar e Khomeini também se encontravam exilados.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Relaxar antes de dormir

Olá amigos :) tentei por este video aqui mas deu erro. Mas está no youtube.
O meu novo video tem varias imagens e uma musica bonita para relaxar antes de dormir. Se o quiserem ver vão ao youtube e procurem por alternatehistorypt como para os outros videos :)

Novos Links

Olá :) é para dizer a quem eventualmente não repare que estão muitos novos links na barra ao lado :)
Entre eles está o do meu livro também na Amazon e do excelente livro
"A Short History of The Future" que como o próprio titulo diz, especula sobre o que a História nos pode trazer (quem sabe?) trazer no Futuro :)

3 Histórias Alternativas

Olá, se forem ao youtube e escreverem alternatehistorypt podem ver os meus videos, já lá estão 3 dedicados a 3 histórias alternativas diferentes.
Quero avisar que não ligo a politica nem quero ofender ninguém.
Aquilo são exercicios criativos de pura fantasia.
Talvez daqui a uns tempos surjam mais histórias... quem sabe :)

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Youtube

Olá :) já estou inscrito no youtube onde já publiquei uma nova história alternativa on-line. Vão já e procurem por alternatehistorypt :) abraço :)

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Olá ao Mundo :)

Olá, o meu nome é Bruno Fonseca e sou um estudante Português. Sou do Porto, mas estudo em Lisboa. Estou a concluir o curso de Antropologia.
Sempre gostei muito de Ficção Cientifica e de História até que há uns anos descobri o "universo" da "História Alternativa" ,ou seja, um subgénero emergente de ficção cientifica que consiste em imaginar como teriam sido as coisas se a História nos seus diversos pontos de viragem tivesse seguido outro rumo. Por vezes isto mistura-se com a possibilidade da existência de Universos Paralelos. Após muitas pesquisas na net e a leitura de muitos livros resolvi eu próprio escrever sobre esta temática e o resultado é o meu livro "Fachoda - Contos de Histórias Alternativas" cujo link podem ver ao lado. Também está disponivel no Amazon.com.
O preço em euros é cerca de 4,65 euros para a versão virtual e de 15,53 euros para a versão impressa (livro mesmo).
Aguardo comentários, criticas construtivas e claro espero fazer amizades :)

Agora a sinopse do meu livro:

Será a nossa realidade a única realidade? A nossa História a única que existe? E se houver dimensões/universos paralelos ao nosso onde eventualmente as coisas se tenham passado de modo diferente? É sobre essa possibilidade que este livro se debruça. Imaginar “o que poderia ter sido” consiste num novo e emergente subgénero da ficção cientifica chamado “História Alternativa”. È precisamente isso que faço neste livro, em especial quanto à Crise de Fachoda:
A Inglaterra e a França sempre foram aliadas ao longo de todo o século XX. Lutaram do mesmo lado e estiveram do lado vencedor nas 2 guerras mundiais. Estiveram sempre juntas (com poucas divergências pelo menos) do mesmo lado na Guerra-Fria e por fim juntas na União Europeia. È pois difícil imaginar e compreensível que muita pouca gente saiba que em finais do século XIX , mais precisamente em 1898 as duas nações estivessem estado a um triz da guerra! Foi a Crise de Fachoda. Contudo no nosso mundo os franceses acabaram mesmo por ceder e em troca receberam direitos sobre Marrocos. Esta foi pois a ultima crise entre Inglaterra e França iniciando-se a partir daqui a “Entente Cordiale” entre os dois países que dura desde essa altura até aos dias de hoje.
Mas as coisas poder-se-iam (e quase estiveram) dado de outra forma, a França podia não ceder o que provocaria uma guerra com a Inglaterra que podia ter graves consequências e alterar todo o século XX. Mesmo o mundo actual poderia ser muito diferente daquele em que vivemos...
Mas embora esta temática seja a principal exploro outras também: e se Portugal nunca tivesse existido? E se os comunistas e não os nazis tomassem o poder na Alemanha dos anos 30? E se Rasputin sobrevivesse ao assassinato e se tornasse mais tarde ditador na Rússia? Só para dar alguns exemplos .
Divirtam-se 
Bruno Fonseca